terça-feira, 11 de novembro de 2008

OLHE! EU ESTOU AQUI!




"Reencontrar a criança dentro de nós, aquela criança que nós fomos e que, de certa forma, ainda somos, é a experiência mais emocionante que possa existir. É, também, a experiência mais curativa, já que esta criança é a nossa alma, o que temos de mais precioso, o sentido da nossa vida, o tesouro escondido no peito. Podemos viajar milhares de quilômetros em sua busca, e não vê-la. Podemos passar por diversos processos terapêuticos profundos, e não encontrá-la. A ascese espiritual, talvez,nos afaste mais ainda dela. E, no entanto, ela está lá, o tempo todo, tristemente observando tudo, talvez desesperada, talvez em pânico, quem sabe...? Muda. Muda? Certamente ela não utilizará nossas palavras tão eruditas e racionais. Não. Ela expressa seu protesto em nosso corpo, destrói nossa vida em atos deliberados de pura sabotagem. OLHE! EU ESTOU AQUI! Nas entrelinhas de nossa conversa vazia, nas metáforas doídas de nosso corpo cansado. A preciosidade maior, a luz de nossa vida. Ela está lá, esperando, onde o tempo não importa, congelada, travada e travando. É preciso ir a ela. Reconquistar sua confiança. Falar-lhe em termos que ela possa compreender. Estender-lhe a mão para que ela possa ver que o tempo passou, e que sobrevivemos. Ela mesma encontrará a saída. Não mais nos atormentará. Para que? Seguiremos juntos, de mãos dadas, a doce trilha da liberade." Miklos Burger, 1996.
Na semana do meu aniversário, eu pedi de presente a minha mãe a vivência da Cura da Criança Ferida, que é baseada na Terapia da Metáfora do David Grove. E para vocês que ficaram tocados pelo que Burger escreveu e querem saber mais um pouquinho sobre essa experiência linda que eu tive durante esses quatro dias, eu recomendo um filme "água com açúcar" do Bruce Willis chamado The Kid (Duas Vidas). Mas vocês precisam assistí-lo não como uma sessão da tarde, mas procurando entender o estado psicológico do personagem de Willis.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Minhas “amizades”


Estou em uma fase em que Tony Soprano é o meu melhor amigo!! Mas tenho algumas conhecidas no Upper East Side (só não confio muito nelas). Elas são bem mais jovens do que eu, mas aprontam muito! Já fizeram coisas que até eu me assusto! Também já tive quatro grandes amigas em Manhattan, só que nunca mais nos vimos e eu terminei sendo apresentada a outras três, mais maduras, mais centradas, muito bem sucedidas e sem ter a vida girando em torno de homens... Ah! Esqueci de contar! Fiz amizades pela Califórnia também (pois é... de uma costa à outra!), mas ainda estamos nos conhecendo... Não sei até onde isso vai dar...

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

ABBA - 1974 Honey Honey

Não falei que nasci na época errada? 1974 foi o ano em que eu nasci.

domingo, 14 de setembro de 2008

Mamma Mia!

Estava contando nos dedos os dias que faltavam para a estréia de Mamma Mia! O filme é uma adaptação do musical da Broadway que eu por pouco não vi em Nova Iorque. Só pelos artistas vale muito à pena: Meryl Streep, Colin Firth (que eu adoro!), Pierce Brosnan, etc. Mas tem de gostar de musical e tem de gostar do ABBA! Porque o filme é uma comédia-musical contada através das músicas do ABBA! Eu acho que nasci na época errada...


Mamma Mia! conta a história de Sophie, a lidíssima Amanda Seyfried, que quer conhecer seu pai, mas existem três possibilidades (porque sua mãe, Donna, interpretada pela maravilhosa - e que sabe cantar! - Maryl Streep, transou com três homens na mesma época. Na mesma hora não... Na mesma época... rsrsrs). Seus pais podem ser o Harry Bright (Colin Firth), o Sam Carmichael (Pierce Brosnan) ou o Bill Anderson (Stellan Skarsgård, um pouco menos conhecido).
Sophie, apesar de muito jovem, quer muito se casar. Na minha opinião, porque dessa forma ela tem uma “desculpa” para convidar seu(s) pai(s) para levá-la ao altar. Então ela manda os três convites, sem sua mãe saber de nada, na esperança de, ao vê-los, saber logo quem seu pai é.


A história se passa na Grécia. O cenário é lindo, claro, e o filme, engraçadíssimo! É impossível assistir ao filme sem querer cantar ou dançar. Eu me mexia como pude na minha poltrona, tendo o cuidado de não incomodar meus vizinhos... E cantar? Cantava bem baixinho... Mas confesso que não dá pra segurar! Eu fui ao banheiro cantarolando e não tava nem aí!! E o mais engraçado foi que enquanto eu estava cantando no banheiro, tinha uma garota ao lado fazendo a mesma coisa! Estou dizendo... É contagiante! E eu quero vê-lo muito mais vezes! Até comprar o DVD e poder cantar bem alto! Se bem que eu já sai colocando o ABBA no som do carro, no laptop, no apartamento...

Mamma mia, here I go again… My my, how can I resist you?

domingo, 7 de setembro de 2008

Duo Pi



Quinta-feira, recebi este e-mail de Cris, ex-colega minha de trabalho, e muito querida por mim: Hey guys! Bruno Póvoas, my brother, is playing at a very cozy and culturally interesting coffee shop this Saturday. The place is not expensive and they serve interesting food, cakes, drinks and a killer capuccino. I'd really appreciate if some of you could come. With his "My Space" page he's getting a lot of "international recognition", but he is still pretty unknown in Bahia (his music is nothing like Pagode or Axé) and this is very tough on such dedicated and competent professionals who need to make a living. If you don't come for the great capuccino or the wonderful music, please come for me. I'd really like to show him my support. Love,Cris Povoas
Algumas palavras chamaram a minha atenção neste e-mail: culturally interesting coffee shop, not expensive, a killer capuccino, his music is nothing like Pagode or Axé, and come for me.


Pensando em Cris e em dar uma saidinha para não ficar remoendo muito a saudade que sinto de Beto, convidei Manu e fomos! Mesmo porque Cris já tinha mandado mais um e-mail/convite, ou seja, era para eu ir mesmo: Oi gente! É só pra lembrar que é hoje à noite que meu irmão, Bruno, toca no Café e Cognac, lá no Rio Vermelho. Vocês podem ir só pra me prestigiar, mas tenho certeza que vocês vão gostar do som e do ambiente do Café & Cognac que é extremamente interessante. Ele vai tocar às 21:00, mas eu vou tentar chegar mais cedo e reservar umas mesas porque é um lugar um tanto pequeno. Mil beijos, Cris PO.


Como Cris disse que chegaria mais cedo, não quis me atrasar, mas eu e Manu chegamos antes dela ao Café & Cognac no Rio Vermelho. Eu só fiquei no café mesmo e mal sentei já fui pedindo o meu “killer capuccino”. Estava como DD (designated driver), Manu podia encher a cara se quisesse (hahaha), mas ela se comportou...


Cris veio acompanhada de seu filho e de sua cunhada. A noite foi bem bacana, conversas diversas e música de qualidade. Adorei quando eu ouvi o tema da Fantástica Fábrica de Chocolate e Manoela parecia que estava no programa de Sílvio Santos, porque aos primeiros acordes ela descobria logo qual era a música!


Um pouquinho sobre a nossa noite (fotos by Cris):
http://picasaweb.google.com/cristy.scorpio/2008SetembroCafECognac?authkey=9CIbaxtSbvg
Um pouquinho sobre a dupla:
Duo Pi, o encontro dos instrumentistas baianos Ubiratan Marques - pianista, e Bruno Oliveira - saxofonista; foi criado em 1997, no Tororó, Salvador - Bahia, a partir de um projeto intitulado Gantois Septenário. O traço expressivo desta idéia original concebe pontos de Candomblé da nação de Ketu como temas para livre improvisação, em outras palavras: Jazz sobre "Standards" afro Brasileiros, uma vertente única e inexplorada.Para ouvir o Pi:
http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendid=225492607

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Saudade de você

Não é que eu estava acostumada à você
e agora eu sofro por não tê-lo aqui
Não, não era costume
Chame do que quiser, mas eu não estava acostumada à você
Chame de amor, companheirismo,
Pode também chamar de "aconchego que me fazia dormir melhor"
ou de "ligações que me faziam voltar correndo pra casa"
Mas não, eu não estava acostumada a você...
Você faz muita falta sim
Seus beijos, seus abraços
Até suas mordidinhas (eu acho)
Mas eu não estava acostumada à você
Minha alma simplesmente encontrou a sua!

domingo, 20 de julho de 2008

Atravessando a Rua

Semana passada deixei Thiago atravessar a nossa rua pela primeira vez e confesso não ter sido fácil. Deixá-lo crescer não é tão simples assim, mas eu acredito ter me esforçado para isso desde que ele era bebê. Neste dia precisei de uma ajudazinha extra de Beto, que me encorajou dizendo "ele já está grande", "ele já tem 11 anos", "Bruno já vem andando sozinho da casa da minha mãe", "se não deixar ele atravessar sozinho, ele não vai aprender nunca", etc. Me aproveitei do fato de que Thiago é louco por pão e não havia nenhum em casa, para dizer para ele "Quer pão? Então vá comprar!" com a maior tranquilidade, quando na verdade eu estava nervosa! Tudo isso porque eu acho essa rua muito movimentada, ainda mais na hora que ele foi, sem falar nos motoristas que não costumam respeitar os pedestres. Mas ele foi... Tentou me persuadir a ir com ele, mas eu mostrei-lhe que tinha muitos pratos pra lavar e prometi um sanduíche muito gostoso quando ele voltasse. E ele voltou são e salvo. Registrei todos os seus movimentos da minha varanda. Torcia para que ele agisse com cuidado e atenção. Vi quando ele ia atravessar, mas logo voltou. Vi quando dava para ele ter ido, mas ele não foi. Enfim, um aprendizado para nós dois! Terminei prometendo à Beto que daria tarefinhas para ele ter de atravessar a rua mais vezes, como comprar alguma coisa na padaria ou alugar um filme.

domingo, 6 de julho de 2008

Seus 11 Anos

Ah, que saudade que eu tenho da aurora da sua vida, da sua infância querida, que os anos não trazem mais... Ah, Thiago... Como você era fofo pequenininho... E sei que todo mundo te amava e queria ficar com você e te apertar todinho! Mas agora aos onze anos, outras crianças chegaram e também querem esse lugar de carinho e atenção constantes. Sendo sua mãe, te garanto que desse posto você nunca saiu! E no meu coração você ocupa um lugar único! Entendo também que as mudanças devem estar mexendo com você. Deixando de ser criança, participando mais de atividades com os homens. Percebi o quanto você me surpreendeu e me deixou orgulhosa com a sua cavalgada na fazenda. Você galopava! Sei que você sempre me quis bem, me enchia de beijinhos, de amor e de carinhos. Só que de uns tempos pra cá, percebo certa impaciência. Quero chegar perto e você recua! Deixou de ser um cachorrinho que eu podia colocar no colo, para ser um gatinho que me arranha quando eu quero abraçar e fazer carinho. Mas de gatos eu entendo. Temos três. E te criei com essa liberdade e independência. Ou pelo menos acho que sim. Sei que você sempre foi um filho responsável, obediente e honesto. Eu nunca precisei checar sua agenda da escola. Confiava sempre quando você me dizia “já fiz” ou “já escovei”. Então é isso. Eu vejo você crescer, se desprender cada vez mais de mim, mas percebo a minha necessidade de terminar de lapidá-lo. Quando observo as suas reações mal-humoradas, quero prontamente chamar a sua atenção para que quando eu não esteja por perto, você trate bem as pessoas. Quando vejo que você se esqueceu de dizer um “obrigado”, “por favor” ou “com licença”, vou correndo sussurrar em seu ouvido. E, dessa forma, vou continuando o meu trabalho... Te amo muito!


Você era tão pequenininho
Cabia dentro de mim
Agora são os meus pés
Que cabem dentro dos seus sapatos!
Sei que você cresceu
Mas posso continuar a te encher de beijinhos
Mesmo na frente dos seus amiguinhos?

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Sex and the City

Para quem acompanhava todos os episódios de Sex and the City e durante todo esse tempo se considerava parte do grupo, assistir ao filme foi como rever suas melhores amigas, matar a saudade e perceber que, como elas, você também amadureceu. Ainda não cheguei na fase de buying drinks, como Carrie, mas certamente já encontrei o equilíbrio de uma relação à dois, por mais que ele não tenha se ajoelhado para pedir minha mão com um anel de diamantes ou, muito menos, para colocar meu sapatinho!

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Morra Vazio

Hoje eu esqueci meus Cds em casa e, sem opção, liguei o rádio. O locutor começou, então, a ler este texto, que eu quis compartilhar com vocês e contar que, assim que eu cheguei ao mercado, por volta das 7:00 da manhã, o locutor também chegou ao fim da sua narração e eu chorei muito emocionada... Quero morrer vazia!

Charles foi reprovado em todas a matérias na oitava série. No segundo grau, foi reprovado em física com a nota mais baixa da história da escola. Também foi reprovado em latim, álgebra e inglês. O desempenho nos esportes foi insuficiente. Parecia que ninguém se importava com ele. Ele, os professores e os colegas sabiam que era um fracassado, segundo todos os padrões convencionais. Resignou-se ao mais baixo nível de mediocridade, ou pior. Porém, contrariando todas as expectativas, no fundo ele acreditava possuir uma centelha natural de genialidade ou talento: desenhar. Orgulhava-se de seus esboços, mesmo sabendo que ninguém lhes dava importância. No segundo ano do ensino médio, enviou uma série de histórias em quadrinhos para o livro anual da escola. Foram rejeitados. Após o segundo grau, completou um curso por correspondência em arte – sua única formação na área. Depois enviou uma carta ao Walt Disney Studios, na esperança de trabalhar como cartunista. Solicitaram os desenhos, e ele trabalhou horas antes de enviá-los à empresa. A resposta recebida dos estúdios: uma carta padrão negativa. Mas Charles sentia que possuía um talento peculiar e valioso, mesmo que só para si. Assim, reagiu à rejeição de Walt Disney, desenhando sua autobiografia em quadrinhos, um fracassado crônico, um garoto cuja pipa nunca subia, mas alguém que o mundo todo viria a conhecer: Charlie Brown. Charles, mais conhecido como Charles Schultz, e seus quadrinhos “Peanuts”, lançados em 1948, que tornaram-se um dos desenhos mais famosos da história, chegando hoje a aparecer em 2.600 jornais, em 21 idiomas. Ao longo dos anos, Charles ganhou cerca de US$ 55 milhões. Cada um dos personagens dos “Peanuts” transformou-se em nomes familiares para cerca de 350 milhões de leitores distribuídos em 75 países. Um vasto potencial humano é desprezado ou se perde porque não entendemos a verdade que Schultz percebeu: ele tinha um potencial único.


O que você traz em seu íntimo neste exato momento? Você tem idéias e sonhos; todos nós temos. Essa riqueza guardada em seu íntimo, no entanto, não pode ser herdada pelo cemitério.Morra vazio!São muitos que morrem ricos, com sonhos agarrados firmemente ao seu coração silenciado. Contanto que haja fôlego em nossos pulmões, o potencial não usado continua dentro de nós, esperando para ser liberado. A razão por que ainda estamos vivos é que trazemos algo dentro de nós de que esta geração precisa. Adote este lema: “morrer vazio”. Não pretenda dar outra coisa ao cemitério que não seja a carcaça vazia de uma vida bem vivida.
“O homem começa a morrer na idade em que perde o entusiasmo.” (Honoré de Balzac)

Adaptado do livro Fênix, de Daniel C. Luz.

sábado, 1 de março de 2008

"When you feel so tired, but you can't sleep"

Mais uma vez [devo desistir??] não consigo blogar como eu gostaria... Mas vamos lá... Sem exigir muito...

Larguei o laptop computer no trabalho e literalmente não trouxe trabalho para casa, mas também não consegui sair do trabalho... E hoje é sábado! Família em Guarajuba, filho com os avós, minha irmã que mora na alemanha por aqui, mas é quase como se não estivesse... porque não a vejo! Trabalho, trabalho, trabalho! Que eu gosto, que me move, mas que me deixou sem dormir por duas noites e trabalhando 10 horas seguidas sem parar para almoço já várias vezes... É o início das aulas, aquele troca-troca... e uma falha grande no nosso sistema de matrícula on-line que bagunçou minha vida... Mas é isso aí... Eu me pergunto, que graça a vida teria se tudo fosse certinho, sem nada para resolver?


"When you try your best, but you don't succeed
When you get what you want, but not what you need
When you feel so tired, but you can't sleep
Stuck in reverse"

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

"Snap back to reality, Oh there goes gravity"

Faz duas semanas que voltei, mas mergulhei de cabeça no trabalho e não pude acessar a internet... Lá nos Estados Unidos, achei que fosse ser bem fácil blogar, que eu iria colocar meus álbuns do KodakGallery toda noite [mesmo sabendo que estaria exausta dos parques], mas a internet era só para quem tivesse o laptop computer... Pois bem, aqui estou, não sei se vou blogar todos os dias, mas pretendo fazer disso um hobby, já que assistir filmes não conta como hobby e, segundo meu terapeuta, "é muito passivo"...

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Amizade em dia

Depois de muito tempo sem se ver, mesmo morando tão pertinho, fui passar a tarde com Ali e Juju. Na verdade fui convidada para um calzone, mas depois do convite, recebo uma ligação do meu amigo Ban, me pedindo para comprar os ingredientes... Lá fui eu para o mercado atrás de queijo, palmito, frutas, chocolate... e o que mais eu imaginasse que desse para colocar dentro de um calzone. Quando eu já estou indo para a fila, Ali me liga pedindo para eu também comprar a farinha e o gérmen de trigo. Material imprescindível para fazer o almoço para o qual eu havia sido convidada... E eu sei lá o que era gérmen de trigo! Nem eu, nem mais ninguém do Bompreço... Resultado - liguei para Tina que deu a preciosa dica de que era na seção de integrais... Achei, e pude me deliciar com um calzone customizado e ainda achar espaço para os calzones doces [banana e chocolate, pêra e doce de leite... hum...perfeitos!].

Depois fomos lá para casa, onde Juju se divertiu mais um pouco com meus três gatinhos. Nala permaneceu camuflada a maior parte do tempo e Julian não encontrá-la; Letícia conseguiu escapar também, mas Luan, o mais gordinho, não conseguiu ir muito longe...

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Somatizando...

Hoje foi um dia muito importante para mim. E difícil também. Acho que devo ter adoecido por conta disso. Acordei, fiz meu relaxamento e minha meditação e, alí mesmo na minha varandinha, que é o meu espaço zen, dormi de novo. Uma gripe anda querendo me pegar às vésperas da minha viagem... Ontem tive muita dor de cabeça. Tanta que nem dormi à noite. Como eu evito tomar logo Tylenol, usei meu óleozinho de menta [dica preciosa de Bárbara], mas não consegui melhorar. E hoje Paulo teve de parar o carro duas vezes, porque eu estava quase vomitando...


Tudo isso porque hoje eu tive uma conversa de fechamento e optei por crescer... A minha escolha já havia sido feita, só faltava comunicá-la. Na verdade, eu não queria fazer nenhuma escolha. Ninguém quer. Eu senti medo ao decidir. Mas a vida é assim. Te empurra pra frente e você nunca se acha pronto. Mas pronto a gente não está mesmo, a gente vai fazendo e aprendendo. Como dizia o comercial da Nike: "Just do it".
E foi o que eu fiz...

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

A Bússola de Ouro [de novo]

Thiago me chamou para ver A Bússola de Ouro [The Golden Compass] novamente, porque finalmente apareceram as sessões legendadas. Detesto assistir filmes dublados. Os desenhos animados tudo bem, porque as vozes são muito bem escolhidas e são engraçadas, mas assistir Nicole Kidman e Daniel Craig falando português... é demais pra mim... E meu filho foi educado da mesma forma, então, quando ele viu que havia sessões legendadas, fomos assistir novamente. E que diferença! Eu nem tinha gostado tanto assim do filme, mas agora... até que achei bonzinho. E essa promoção do Multiplex Iguatemi é muito boa! Deve ficar para sempre. Você compra um ingresso e recebe um cupom de desconto de 50% para voltar ao cinema dentro de 10 dias.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

"Coleiras"

Hoje eu preparei as "coleiras" de Thiago e Luiza. São crachás com nome, endereço
do Brasil e dos hotéis onde ficaremos hospedados, telefones do Brasil e dos
hotéis.


Por falar em telefone, já liguei para a TIM e fiz o roaming. Thiago
também estará levando um celular da TIM, mas vamos usar uma coisa que é muito mais interessante, o Kids Eye 15:



Esse aparelhinho bipa se a criança se afastar de você mais de 15 metros e se ela se perder tem um botãozinho de emergência. Muito legal. Eu e Thiago já testamos aqui no apartamento...

Foi presente de João, mas como ele ainda vai fazer dois aninhos, não pode ficar nem um metrinho longe da gente... Então vai emprestar para Thiago não me dar nenhum susto na Disney...

Se bem que eu confio muito no inglês de Thiago : )

domingo, 6 de janeiro de 2008

Contagem Regressiva

Olá a todos,



Eu, meu filho Thiago, minha priminha Luiza e a minha dinda iremos no domingo, dia 13 de janeiro de 2008, para os Estados Unidos [Orlando, New York e Miami]. Preparem-se para as fotos!


Luli me ligou lembrando que faltam 06 dias!



Ciderella Castle Times Square Miami

sábado, 5 de janeiro de 2008

Comprando roupas de frio em pleno verão de Salvador

Fui para o Shopping Iguatemi de Salvador [http://www.iguatemisalvador.com.br] com mamãe [para pagar as contas rsrsrs]. Na verdade tive uma tarde deliciosa ao seu lado, almoçamos no Tokai, conversamos e compramos as roupas de inverno para Thiago. Tarefa difícil, mas não impossível no verão de Salvador.

Existe a antiga Benetton, que chama-se agora Color Store, onde compramos luvas e sweaters e lojas de meias com A Paulistinha e A Diamantina, que vende underwear de frio. Eles só não sabem a difenrença entre lã e acrílico...









De volta para a casa de minha mãe, continuei a arrumação das malas, agora Thiago já tem roupa de frio.
Isso é o que eu vou levar na minha bolsa [que provavelmente vai dentro da mala de mão]:

Real e dólar

  • Cartões de crédito internacionais [é bom ter o Master e o Visa, mas vocês acreditam que bloquearam o meu Visa, porque suspeitaram de uma máquina em uma das lojas que eu fiz compras? Em plena véspera de viagem! A segunda via não chegará a tempo... Oh well]

  • Cartões seguro viagem [o meu seguro saúde Bradesco serviu! Essa é uma boa dica. Alguns cartões de crédito, como o meu, também possuem seguro viagem - extravio de malas e saúde]

  • fio dental

  • Trident [para quendo não for possível escovar os dentes, para se distrair ou para desbloquear o ouvido rsrsrs]

  • Nivea[é bom para o frio]

  • Labello [essencial para os lábios no frio]

  • meu Palm [porque eu não consigo mais viver sem ele. Obs.: lembrar de registrá-lo na polícia federal antes de embarcar para saberem que não foi comprado no exterior]

  • e-tickets impressos

  • vouchers dos hotéis

  • autorização de viagem das crianças [para tirar a autorização, basta duas fotos 3X4, identidades do pai, da mãe, da criança - ou certidão de nascimento - cópias de todos esses documentos e a presença do pai, se a criança for viajar com a mãe, como é o nosso caso]

  • certidão de casamento [eu preciso levá-la, porque meu nome mudou para Karina Nery Carrillo e na identidade de Thi está Karina Fahel Guimarães Nery. Preciso, então, provar que sou eu mesma a mãe dele...]

  • identidades

  • passaportes

  • cópias dos passsaportes e da autorização [porque ela fica com a Polícia Federal, mas dá uma agonia deixar essa autorização lá e ficar sem nada na mão...]


Isso é o que eu vou levar na mala de mão:

  • livrinhos de sudoku, palavras-cruzadas, revistinhas...

  • guloseimas [especialmente, porque viajo com duas crianças]

  • 1 livro muito bacana [vou levar O Livro de Jó do André Vianco, que é uma continuação de uma história de vampiros super interessante!]


  • 1 cachecol [feito por vovó só para ficar mais bonita rsrsrs]

  • 1 par de luvas

  • 1 sobretudo
  • minha câmera com pilhas recarregáveis, o carregadro e o cabo USB [importantíssimo para fazer o upload das fotos! Obs.: lembrar de também registrá-lo na polícia federal antes de embarcar para saberem que não foi comprado no exterior]
Não vou levar muda de roupa, porque minha mala chegará junto comigo : )

O que usar para viajar no avião:

  • 1 calça jeans confortável [se vc for fã de jeans como eu]
  • 1 blusa de manga comprida
  • calcinha + blusinha tipo sutien [é mais confortável]
  • 1 par de meias Kendall [para ajudar na circulação das pernas]
  • 1 par de meias
  • 1 par de botas confortáveis de cano longo forradas de lã


sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Fazendo as malas

Hoje fui para a casa de minha mãe fazer a minha mala e a de Thiago. Precisei ir para lá, porque ela é a expert em frio [depois de tantas visitas à Lili na Alemanha] e porque todas as roupas de frio ficam guardadas lá. E as malas são dela [todas lindas da Kipling! Vou de Kipling da mala ao porta-passaporte rsrsr].

Vamos passar 15 dias, mas como são dois dias Salvador-Miami e Miami-Salvador, nos restam 13 dias para pura diversão! É necessário repetir roupa, porque quero viajar light [para voltar heavy rsrsrs]. Disse a minha mãe que dois pares de jeans bastavam, ela ficou horrorizada e já foi pegando suas calças de veludo. Disse que queria viajar somente com meu par de coturnos super-fashion-gótico-cult-sei-lá-o-quê, mas ela já foi pegando o seu par de botas alemãs e aí eu mudei logo de idéia e vou viajar chique mesmo.
Vejam como ficou a minha mala:

15 calcinhas descartáveis
[Um achado! compra lá na Mouraria, usou, jogou fora! Você fica sem roupa suja e sem peso extra. Sai por R$1,00 cada.]
1 conjunto de biquine
[porque espero ter acesso a alguma piscina de água quente para relaxar depois dos parques]
2 gorros de lã
[um foi presente de Beto lá de Machu Picchu e o outro que eu comprei na Alemanhã tem pom-poms lindos! ]
1 sapatilha
[para andar pelo hotel, Jam achou a minha cara, porque tem caveirinhas e coraçõeszinhos, e me deu de Natal]
5 pares de meias
1 par de luvas de couro com lã
1 cachecol
1 casaco moletom
3 sweaters
2 camisas de manga comprida
5 blusas de manga comprida e gola rolê
3 blusas underwear
3 calças underwear
1 pijama
1 conjunto de moletom "fashion"
[que dê para sair na rua sem as pessoas acharem que vc acabou de sair da cama]
1 calça de veludo
1 calça jeans
3 blusinhas
[pra fazer de sutien]
1 casaco de inverno
Vocês devem estar se perguntando... E isso é viajar light? Mas lembrem-se que estamos indo no inverno.
Quando eu fui fazer a mala de Thi... Que surpresa... Nenhuma roupa dava mais nele... Só o casacão comprado na Alemanha. Pelo menos isso. Ou seja, amanhã... compras!