sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Faltam 133 Dias - Entrada Inovadora

Calma Betão... Não vou propor nada disso...
Mas achei muito bacana =)
Casamento é isso!
É celebração, alegria, amor, afirmação, confirmação...
... e ter nossos amigos e familiares juntos!
Não quero contar detalhes sobre a minha entrada, mas algumas pessoas já sabem, porque eu não consigo ficar quieta!!!

Só para vocês terem idéia do que já passou pela minha cabeça...

1) Chegar de Harley Davidson, com o vestido puxado, as pernas de fora e sendo "resgatada" por meu pai que me "entregaria" à Beto hahaha. Confesso que essa era a minha entrada favorita =). Sem contar que eu me imaginei vindo lá de Salvador em uma comitiva da Hells Angels MC... Mas Beto iria terminar comigo antes da gente casar... ;
2) Chegar com os meus pais;
3) Estilo Mamma Mia, com toda a minha família, minhas três irmãs e três melhores amiga, mas sem o burrinho!!!;
3) Chegar somente com o meu pai... Mas daí comecei a achar que o carro dele destoaria do cenário da festa. E foi então que eu me lembrei de Chicão, o carro de um amigo meu, que infelizmente vendeu ... mas vendeu para uma amiga minha!!!! E Chicão é a cara dos anos 70, de Woodstock... Aguardem que vocês vão conhecê-lo =)

p.s. Pelo menos não preciso me preocupar com a entrada de mais ninguém, só a minha =) E nem com manuais de etiquetas e cerimoniais, entrada do cortejo, quem entra primeiro e com quem, se a mulher fica ao lado direito ou esquerdo do homem, o posicionamento no altar, a hora da saída...

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Faltam 140 dias - Uma Cerimônia Coerente

A decisão de não querer casar na igreja e não querer padre não foi por "rebeldia" ou por querer ser diferente. Não frequento igreja, mas acredito no divino e que Deus está em cada um de nós, por isso não quero que ninguém de fora celebre. Quero meu amigo-irmão Ban!

Isso é muito comum nos Estados Unidos e eu acho isso bacana. Não crescemos em uma comunidade católica onde um padre celebrou nosso batismo e eucaristia e nos viu crescer para contar nossa história de amor no dia do nosso casamento. Sei de muitos que decoram a história dos noivos só para contar no dia do casamento... Ao invés disso, tivemos a companhia dos nossos familiares e amigos que eu acredito poderão construir melhor do que qualquer um a cerimônia do nosso casamento. E ela será muito especial por isso, porque todos os nossos amigos e familiares presentes assinarão uma declaração como testemunhas do nosso amor. Segundo Ban, todos serão nossos padrinhos e madrinhas. Todos que estiverem presentes serão responsáveis pelo sucesso da nossa união e não apenas alguns "escolhidos", ou seja, testemunhou, tem que ajudar o casal, through the good and the bad. E, segundo Felipe, marido de Liz Gilbert, nossa cerimônia será celebrada através do jeitinho brasileiro:

- Querida, na verdade nada disso se aplica a mim.
-Por que não? - perguntei.
- Não sou grego nem hebraico.
- Então o que você é?
- Sou brasileiro.
- Mas o que isso quer dizer?
Felipe riu.
- Ninguém sabe! Isso é que é maravilhoso em ser brasileiro. Não significa nada! Por isso, dá para usar a brasilidade como desculpa para viver a vida como a gente quer. Na verdade, é uma estratégia brilhante. Ela me levou longe.
- E como é que isso me ajuda?
- Talvez possa ajudar você a relaxar! Você vai se casar com um brasileiro. Por que não começa a pensar como uma brasileira?
- Como?
- Escolhendo o que você quer! Esse é o jeitinho brasileiro, não é? Pegamos as idéias de todo mundo emprestadas, misturamos tudo e depois, com isso, criamos algo novo.
GILBERT, 2010

Então é isso. Aí está o segredo! A gente escolhe o que há de mais especial nas cerimônias existentes e constrói nossa própria cerimônia que irá refletir nossas crenças e valores! A maior parte da nossa inspiração veio da Cerimônia Quaker, religião da qual Ali faz parte e através da qual ela e Ban se casaram.

Quando contamos para eles dois que queríamos nos casar (eu, é claro, descrevi cada detalhe de como eu imaginava que seria meu casamento, com Beto ao meu lado fazendo todas as ponderações possíveis), eles exclamaram: "Isso é muito parecido com o nosso casamento!" E daí descobrimos toda a magia do Quaker Wedding!

Na religião Quaker, quando o casal decide se casar, eles declaram as suas intenções para a comunidade por escrito ou pessoalmente. A comunidade, então, elege uma pessoa para conversar com o casal para ter certeza que eles estejam preparados para o casamento. Se o casal estiver pronto, a comunidade passa a "cuidar" desse casamento em suas reuniões semanais. Esses cuidados incluem agendar a data, dar conselhos pré-matrimoniais, fazer o certificado, ajudar com a documentação legal, etc.

Em uma cerimônia tradicional Quaker, os convidados se reunem em silêncio. Depois o casal faz a troca de votos. Tradicionalmente, os Quakers não fazem promessas, porque eles têm a intenção de dizer a verdade em qualquer momento, não só quando as cerimônias exigem.

Como tradicionalmente não há padres, não existe uma pessoa para celebrar o casamento. Ao invés disso, o casal acredita que eles estão casados por Deus e declaram as suas intenções diante de Deus e daqueles reunidos. Eles acreditam que o casamento é testemunhado por todos aqueles presentes. Geralmente não há damas de honras ou pajem, somente os noivos. O casal, então, assina o Certificado de Casamento. Todos os presentes são convidados a se expressar, falando alguma coisa sobre o casal e a assinar o certificado.

Trecho do filme Antes do Amanhecer:

Jesse: Hmm. Do you know anything about the Quakers, the Quaker religion?
Céline: No, not much, no.
Jesse: Well, I went to this Quaker wedding once, and it was fantastic. What they do is the couple comes in and they kneel down in front of the whole congregation, and they just stare at each other, and nobody says a word unless they feel that God moves them to speak, or say something. And then, after an hour or so of just uh, staring at each other, they're married.
Céline: That's beautiful. I like that.

Gostaram? Só que a gente vai temperar isso um pouquinho e fazer do nosso jeito. Não vou entrar em detalhes para não estragar a surpresa, mas já adianto: haverá um momento para quem quiser cantar, declarar uma poesia, falar alguma coisa ou se expressar de alguma forma. Podem ir pensando... Pode ser discurso, poesia, história, pode até cantar ou tocar uma música, contanto que deixem seu coração falar para os nossos = )

Trecho do seriado Friends: cerimônia de Phoebe celebrada por seu amigo, Joey.
Joey: Friends, family, dog... Thank you all for being here to witness this blessed event. The cold has now spread to my special place... so I'm gonna do the short version of this. Phoebe and Mike are perfect for each other. And I know I speak for every one here... when I wish them a lifetime of happiness. Who has the rings?

Faltam 155 dias - TPC

Estou viciada em casamento!! Ou como Aninha, minha consultora-prima-amiga me disse, estou com TPC (tensão pré casamento). O planejamento estava acontecendo meio em segredo, pois nem todo mundo sabia. Agora posso ser o centro das atenções em qualquer conversa (por favor, que ninguém mais se case ou tenha filhos até julho!!). Tudo gira em torno do grande dia. Bem que Aninha me avisou: "é um vício", "você vai ficar viciada"... A princípio eu não acreditei, achei uma bobagem, mas agora? Estou sentindo na pele! Passo horas na internet pesquisando, faço e refaço a minha to-do list, minha leitura de cabeceira é Comprometida, de Liz Gilbert, sou assinate da projectwedding.com, tenho vários aplicativos em meu iPhone que começam com wedding (wedding timeline, wedding to-do, wedding countdown, wedding budget, etc) ao invés de ler revista esperando uma consulta estou escrevendo esse post em um caderninho que agora vive em minha bolsa para esses momentos de inspiração, alugo comédias românticas para analisar seus casamentos e refletir sobre as relações (já fazia isso, mas agora "piorou"), passei a postar sobre o assunto neste blog, já olho para as minhas unhas preocupada com a foto das alianças, entre outros vícios... Ah... Não consigo pensar em outra coisa! Posso pedir licença do trabalho e só voltar depois da lua-de-mel??