sábado, 21 de maio de 2011

Faltam 49 dias - O corset

Casamento tem que ter corset!!! Que boa desculpa para eu realizar o meu desejo de ter um! Como o meu vestido é presente da minha amiga e estilista Ali, que ama costurar e faz disso o seu maior hobby, eu pude me dar ao luxo de ter um corset. Mas daqueles de verdade, tipo espartilho e feito sob medida =)

Aqui em Salvador eu nunca encontrei um, mas o Google me contou que, em São paulo, Madame Sher faz sob encomenda, responde prontamente às suas dúvidas, através de e-mail ou telefone, e entrega em sua casa, dentro de uma caixa linda! Parecendo coisa de antigamente.

O corset foi uma das primeiras coisas que eu pude ticar na minha to-do list, até porque, dependia apenas de mim, então quis resolver logo. Fiz os primeiros contatos através de e-mail, depois quis ligar para me certificar que existe mesmo gente do outro lado, estava tão ansiosa (pra variar) que passei a ligar direto, querendo trocar idéias quanto ao modelo.

O site tem várias opções, mas você pode criar o seu, inclusive enviar o tecido pelos correios. Já estava conhecida como "a noiva". Mas como essas trocas de idéias adiavam a minha compra, preferi escolher um dos modelos do site. Queria que ele chegasse logo! E Ali queria vê-lo antes de começar a trabalhar na saia. Imagina a minha ansiedade?

O segundo passo era tirar minhas medidas (busto, tórax, cintura e flancos) e enviar por e-mail, juntamente com a relação peso/estatura e uma breve descrição do meu físico e hábitos diários. O negócio é sério. Quase mando uma foto.

Cadê a fita métrica? Não tinha. Arranjei um cadarço, depois o estiquei em cima de uma régua. Será que vou tirar a medida certa? Será que a minha cintura é aqui mesmo? Será que devo medí-la ao acordar ou depois de uma refeição? Terminei indo pra casa de Ali, pois ela, com certeza, teria uma fita métrica e saberia me medir. O problema seria ela me medir em inches, já que é americana.

Tudo conversado, enviado e pago. Tive que driblar Beto para ele não opinar no modelo. Mas Sher opina e diz qual o mais apropriado. Daí passei a contar os dias para o corset chegar. E quando ele chegou, adivinha o que eu fiz? Claro, fui correndo experimentá-lo.

O site ensina como amarrá-lo sozinha, mas eu já tinha um pouco de experiência por causa de um corset alemão. A moça da loja (gótica, por sinal) me ensinou in Deutscher Sprache, mas consegui entender com a ajuda de Gabi. Assim que coloquei meu corset e me olhei no espelho fiquei desesperada!! Falta peito!! Anotei minhas medidas erradas? Escrevi inches ao invés de centímetros? Não devia ter comprado pela internet! E agora?

Novamente terminei indo pra casa de Ali, pois ela, com certeza, saberia o que fazer. Ali trabalhou em uma feira medieval nos Estados Unidos e usava corset como uniforme! Foi ela quem sugeriu o midbust ou overbust, aquele modelo que cobre apenas metade dos seios. Mas que seios?? Tenho seios muito pequenos. Nada aparecia. Fiquei muito frustrada e já estava imaginando como corrigir isso. Mandar o corset de volta ia ser um transtorno. Daí pensei logo no meu sutien de bojo... e até colocaria mais enchimento...

Ali também não entendia nada. "Esse tipo de corset faz justamente o contrário", ela dizia. "Ele é ótimo para quem tem pouco peito, pois comprime e levanta. Dá um ótimo efeito." Muito tempo depois, eu já colocava o corset com o sutien e Ali já havia criado uma blusinha maior para escondê-lo. Foi quando eu vesti o corset de um outro jeito e... plim! Como em um passe de mágica, ele coube certinho!

Ah... ansiedade... Tá vendo o que você faz? Na minha agonia, eu quis colocar logo e terminei vestindo o corset ao contrário! De cabeça pra baixo! A parte que era para ficar na cintura, estava em meu peito e vice-versa! Eu e Ali começamos a rir! Ela não podia ter visto o erro, porque eu já saía do banheiro pronta. Que confusão e que alívio por ter descoberto a tempo! Agora o corset e minha cabeça já estão no lugar =)

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Faltam 59 dias - Dia da Noiva

Casamento tem que ter bolo, topo do bolo, entrada da noiva, bouquet, entre outras coisas muito legais! Mas uma das coisas mais bacanas é o Dia da Noiva!

O Dia da Noiva é tipo um spa urbano:

• Limpeza de pele
• Massagem anti-estresse
• Talassoterapia:
- Gomage corporal
- Cromoterapia, aromaterapia e óleos essenciais
• Ducha
• Hidromassagem
• Máscara facial
• Hidratação corporal
• Hidratação facial e capilar
• Almoço
• Depilação
• Manicure e Pedicure
• Podologia
• Hidratação das mãos e pés
• Lanche
• Maquiagem
• Prova do penteado
• Penteado
• Sobrancelhas
• Apoio de camareiras

Logo no início, quando eu pedi o casamento de presente aos meus pais, eu pedi com "com Dia da Noiva e tudo". Com o tempo, e a crescente to-do-list e check-list, tinha até esquecido...

Tem até Dia do Noivo, acreditam? E eu nem sei pra que eu peguei o folder para mostrar pra Beto e perguntar se ele queria... Alguém consegue imaginar?

No Dia da Noiva, os salões oferecem várias opções de cuidados com a beleza, mas é necessário passar horas sendo cuidada... E eu, de personalidade agoniada, agitada, ansiosa, fiquei pensando: será mesmo que vou conseguir ficar quieta, recebendo uma massagem relaxante, no dia do meu casamento, imaginando as pessoas arrumando os últimos detalhes, querendo saber se vai estar tudo pronto, tudo OK? Ai... Isso me deu uma agonia... E foi então que eu pensei em cancelar (confesso que também pensei na lista - menos uma coisa pra ticar! Ôba!): vou em qualquer salão e faço as unhas; meu cabelo é curto mesmo, o casamento é hippie, talvez não precise nem fazer as unhas, etc.

Mas foi então que a minha mãe disse que não achava uma boa idéia cancelar... E o seu argumento foi justamente esse: se eu não ficar "presa" em um salão, vou inventar mil coisas pra fazer e pra resolver no dia ou vou terminar indo pra aquela sessão de cinema de manhã que eu adoro... =) Pensando por esse lado, acho melhor eu ficar presa mesmo!!








sábado, 7 de maio de 2011

Faltam 63 dias (ah!!!!!) - Trash the Dress

Depois do "save the date" agora veio outra mania internacional: o " trash the dress"... Já ouviram falar? A não ser que vocês estejam planejando se casar não devem ter ouvido... Cheguei a conclusão que é coisa da indústria de casamento... Deve ter se popularizado depois dos foto livros e câmeras digitais... Só pode... Os fotógrafos começaram a perder o terreno para as coisas mais baratas e práticas e inventaram ensaios antes e depois do casamento. Tirar foto apenas na hora da festa não basta.

Trash the Dress, ao pé da letra, significa estragar o vestido. Mas nenhuma noiva é louca (aliás, deve ter uma ou outra...) de estragar o tão sonhado modelito... Então, que a verdade seja dita: o vestido não estraga, às vezes elas usam até um outro parecido, ou escolhem cenários tipo praia ou piscina, que não suja, só molha....

Eu não farei por três motivos:

1. Ali iria ficar muito chateada se eu jogasse fora toda a sua criatividade e horas de inspiração e trabalho;
2. Vai aumentar meu orçamento de fotografia e vídeo;
3. Vocês imaginam Beto posando para fotos românticas em diferentes cenários?

Mas tem fotos muito bacanas. Quando a noiva está really trashing the dress... Porque se for pra "estragar" o vestido dentro de uma piscina ou na beira do mar, I'm sorry... Aí é só pra dizer que fez o tal do ensaio... como é mesmo o nome? Ah... Trash the Dress...

E eu, como a-do-ro um ensaio fotográfico (para quem não sabe, já fiz vários, mas todos para dar de presente à Beto e não para publicar no Facebook = ) decidi que farei o meu próprio Trash the Dress!! Aguardem! Adivinhem onde? Numa trilha na Chapada, é claro!

terça-feira, 3 de maio de 2011

Faltam 67 dias - Freud explica


Ando dormindo muito tarde e acordando muito cedo com apenas uma coisa na minha cabeça: FALTAM .... DIAS PARA O CASAMENTO!!!!


Ás vezes eu me refiro ao "meu casamento" como "meu aniversário". Que coisa!! Freud deve explicar algo do tipo: você considera a festa como sua! Bem... Não é. Ela foi toda criada, pensada, elaborada, discutida, ... com Beto e, na maior parte das vezes, a palavra final era dele. Por mais que eu, ás vezes, me chateasse com o não ou com a crítica, eu sabia que ele queria apenas o melhor e, além disso, ele é mais pé no chão do que eu para certas coisas.

Só que essa história de dormir tarde e acordar cedo me fez começar a me lembrar mais dos meus sonhos, ou melhor, pesadelos... Em um deles as minhas unhas estavam grandes e eu decidi roê-las ao invés de cortá-las. O resultado foi desastroso! Ficaram horrorosas, descamadas, lascadas, machucadas... e logo após essa idéia brilhante, de não querer pegar a tesoura, eu me dei conta que.... o casamento era manhã e minhas unhas, que serão mostradas no ítem 10 da filmagem (mostrar a troca dos votos e das alianças), não estariam bonitas!!

O outro sonho foi pior ainda! Já era o dia do casamento e chovia muito. Chovia tanto que o sítio não tinha nem mais grama. Era barro puro! E eu estava sem roupa! Não sem o vestido de noiva, sem roupa mesmo!! Nua!! Pra lá e pra cá no sítio sem grama (parem de me imaginar e foquem no assunto!). E então descobri que já eram 16h00! Fui falar com minha mãe que já era a hora do casamento e que eu não estava pronta e sabem o que ela me disse?? "Calma... Não chegou ninguém mesmo... Também, com essa chuva..." Eu acordei bem nessa hora, foi sonho do tipo nível 2 para quem viu o filme Inception (A Origem). Eu comecei a ficar consciente ainda dentro do sonho. Precisava que alguém me desse um "chute para eu cair da cadeira" e acordar daquela maluquice!

Acredito que os "personagens" dos nossos sonhos somos nós mesmos... Eu sou eu, minha mãe sou eu, etc. Partes diferentes de nós mesmos, nossas angústias, preocupações, alegrias... Então sei que tem uma parte minha que se preocupa: "são 16h00 e ainda não estou pronta" e sei que tem uma parte minha que sabe que tudo vai ficar bem, com ou sem chuva, e que eventualidades sempre acontecem em qualquer evento: "Calma... Não chegou ninguém mesmo..."

Mas aceito interpretações dos meus sonhos. Se fizer sentido, publico =)