sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - 1ª consulta

Primeiros sintomas + confirmação da gravidez = consulta pré-natal =) O médico já havia sido escolhido por meu pai. Achei tão lindo quando minha mãe me ligou dizendo "seu pai já escolheu seu médico". Me senti muito querida com esta preocupação dele para eu ter o melhor acompanhamento pré-natal possível. Foi o mesmo médico que fez os dois partos da minha irmã. Ele havia sido a minha 1ª opção, porque sabia que ele acreditava em partos naturais e porque minha irmã teve uma experiência muito boa com ele, mas, infelizmente, como todo médico bom, ele não aceita seguro saúde. Por isso, logo descartei esta opção. Mas o meu pai fez questão de me presentear com as consultas. E eu sei que o hospital é coberto pelo seguro. Então, agendei a primeira consulta para o dia 30/09/2011. Estava ansiosa e já havia feito a minha listinha básica de perguntas para tirar dúvidas:

  1. Como evitar manchas na gravidez? Existe algum protetor solar mais recomendado? (não tive com Thiago, mas depois soube de tanta história...)
  2. Devo evitar algum alimento? (espero que não precise deixar de tomar Nescau...)
  3. Posso continuar fazendo bike e Pilates?  (logo agora que estava avançando o nível? acho que não, já vi muitas fotos de mulheres grávidas fazendo loucuras no Pilates!)
  4. Posso continuar usando jeans? Não vai fazer mal ao bebê? (é que esta foi a 1ª coisa que a minha médica falou quando eu estava grávida de Thiago: "pare de usar calça jeans!")
  5. Devo tomar alguma vitamina?  (é melhor garantir, por mais que a minha alimentação seja boa)
  6. Você é mesmo adepto ao parto natural? (é bom confirmar, não quero ter que decidir dia, hora e signo do bebê )
  7. Posso pegar peso?  (me refiro ao notebook e livros que carrego para o trabalho e não à musculação!)
  8. Como evitar estrias?  (basicamente quero saber se existe algum creme milagroso, mas também não tive com Thiago, graças às minhas gordurinhas extras... não sei se é melhor ter estrias ou elas!)
  9. Por que eu não estou enjoando e as minhas amigas grávidas estão?  (tradução: sou normal?)
  10. Devo mesmo marcar uma ida ao dentista? (por que? acho que pode fazer mal ao bebê...)
Além de tirar dúvidas, a 1ª consulta é fundamental para criar laços entre a mãe, o pai e o médico. Esse triângulo vai durar nove meses e todos precisam sentir-se à vontade. O médico precisa ser alguém que os pais gostem e confiem. E se ele tiver ultrassom com projeção colorida em uma TV de tela plana, melhor ainda!!!

Meu médico pediu exames de urina e sangue. Ainda bem que é uma agulhada só para todas aquelas solicitações! (hemograma, eritrograma, leucograma, contagem de plaquetas, glicose jejum, anticorpo anti toxoplasmose, rubéola, HIV, TSH, etc, etc, etc). Beto foi comigo e eu acho que meu médico aproveitou para ter uma conversa de homem para homem, enquanto eu me trocava para ele me examinar. O que será que tanto conversavam?

Eu queria saber porque a minha barriga estava tão grande se eu só tinha poucas semanas. Ele me explicou que os hormônios fazem a musculatura intestinal relaxar mais  (o que pode causar enjoos e dificultar a digestão e, por isso, as prisões de ventre são comuns entre as grávidas). Eu ainda acrescento: o bebê pode estar pequenininho, mas a placenta tem muita água!!

Ele também explicou outras coisas: que a duração da gravidez é pelos meses lunares (quatros semanas certinhas) e não solares, disse que a data prevista é 28/05/2012 (10 dias para mais ou para menos), falou para eu ter uma alimentação mais natural possível e abusar de laticínios (já que todo o meu cálcio está sendo mobilizado para o desenvolvimento do bebê), conversou sobre sexo na gravidez (disse que era normal, mas que é normal também não sentir vontade, disse que os seres humanos são os únicos animais que depois que engravidam mantêm relações) e contou que eu poderia ter mudanças de humor (o que fez com que eu ouça, toda vez que estou sendo chata: "só porque seu médico falou...").

E por fim, respondeu todas as minhas perguntas. Querem saber as respostas?

  1. Protetor solar, mesmo. E pode ser qualquer um. Tem o da linha Gerare, mas está sempre em falta. (se alguém souber onde vende, por favor, me avise);
  2. Evitar o que perceber que faz mal e manter uma alimentação mais natural possível. Ele fez questão de frisar: e coca-cola não é natural;
  3. Pode, se já fazia antes. Não dá é para começar a se exercitar agora;
  4. Pode (ele deu risada), mas não tipo às de baile funk!
  5. Por enquanto não, só ácido fólico (que eu tomo desde 2009);
  6. Sim (e me falou da ala nova do Hospital Português, criada especialmente para gestantes que querem parto natural =);
  7. Até 10 kg. Então já ouvi coisas do tipo ao voltar com compras do mercado: "seu médico disse que pode." Humf!
  8. Qualquer hidratante;
  9. Cada gravidez é de um jeito e você ainda pode enjoar (dito e feito!!! Meus enjoos começaram, mas sem vômito... please!!);
  10. Deve, também por causa da falta de cálcio.*
Agora conto os dias para a minha consulta de revisão (14/10) quando vamos poder ver nosso bebê novamente e analisar os resultados dos exames.

* "Durante o pré-natal, a gestante deve ir ao dentista, ao menos uma vez, mesmo sem queixas. Na gestação, ocorrem alterações na cavidade oral que favorecem o surgimento de gengivite e formação de placas bacterianas, que predispõem à doença periodontal crônica, uma causa importante de parto prematuro." (Filhos: da gravidez aos 2 anos de idade: um guia completo da Sociedade de Pediatria para os pais, volume 1) 

2 comentários:

Priscilla disse...

Adorei o post. Estou de 6 semanas e passarei com o meu médico no final desta semana. Essas são basicamente todas as perguntas que eu tinha em mente para fazer à ele.

Marcia Torres disse...

Kari!

Parabéns!

Espero que seu blog vire um livro!!!

Vc continua cada vez mais inspirada!!!

Beijossss