quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Gravidez aos 36 - Atividade Física

Sou do tipo que começa uma atividade física e depois de alguns meses abandona. Não troco um programinha tipo cinema  por correr na orla com uma amiga. E se um livro estiver mais interessante, é com ele que eu fico e não vou pra aula! 

Já fiz musculação, basquete, natação, hidroginástica, Krav Magá, yoga, ballet (quando criança e depois de velha rsrsrs), já tive personal trainer, já me exercitei em casa, já fiz esteira e já corri na orla! Ufa!! E já larguei tudo isso também! É que eu só funciono com disciplina, se fizer parte da minha rotina. Então, se por acaso, acontece alguma coisa e quebra essa rotina (tipo uma reunião bem na hora da minha aula ou um convite irresistível pro cinema, minha paixão) eu falto e não é tão simples assim voltar a frequentar... 


Mas aí a idade chega e a gente vai ficando mais "crocante" (tenho hérnia de disco na C5C6, joelhos que estalam e agora até meu hallux valgus resolveu aparecer (uma pequena herança genética da minha vó =). Já cheguei a conclusão que não dá mais para brincar com a minha saúde e escolhi a melhor atividade física para mim, porque cuida da postura, que é a base para resolver todos esses probleminhas: o Pilates.


Já faço Pilates há algum tempo. Também já entrei e saí de alguns, até, finalmente, encontrar um que, além de ser pertinho aqui de casa (dá pra ir andando), tem um professor fisioterapeuta que é muito bom! Ele é tão bom que agora levei minha vó (a outra, sem ser a que deixou o joanete para mim de herança =) para fazer comigo e ela também está gostando!


Uma das coisas mais interessante é que eu sou a mais nova (com 36 anos!) e, para uma das minhas colegas senhoras, exemplo de boa aluna, daquela que faz tudo. E olhe que o Pilates tem muitos exercícios difíceis, de equilíbrio e força. Então dá pra imaginar como eu fico? Sou motivo de admiração e não posso fazer feio!


Como a minha gravidez foi desejada há muito tempo, eu sabia que se eu não estivesse me exercitando quando engravidasse, teria de esperar terminar o 1º trimestre para começar a fazer alguma atividade física. E eu sabia que seria muito importante eu estar em forma, principalmente porque quero ter um parto normal, não quero ganhar muito peso, desejo trabalhar até o último mês (para poder ficar o máximo de tempo com meu bebê) e preciso subir muitas escadas no meu dia-a-dia de trabalho.


Então, quando voltei para a minha aula de Pilates, depois de saber que estava grávida, o meu professor me deu o bom dia de sempre:

Profº: - Oi Karin, como é que você está?
Eu:     - Grávida.

E aí foi uma grande festa das minhas três coleguinhas (turma pequena é bom... =) que já se encheram de cuidados. Tem uma que fica de olho no professor para ele não exigir muito de mim e sempre checa se eu posso mesmo fazer os exercício que ele pede. E lembram que eu disse que não trocaria um bom livro por uma aulinha de ginástica? Pois bem, consegui conciliar os dois: eu leio enquanto faço bicicleta ergométrica antes da minha aula de Pilates. E não se preocupem, ler pedalando, fazendo esteira ou no carro não faz mal à visão e nem desloca a retina! É só desconfortável para algumas pessoas, que têm dor-de-cabeça ou enjôo. Como eu não tenho nada, é uma "boa desculpa" para fazer exercícios: se eu quiser saber como a história termina, vou pedalar!


As grávidas que pensavam que iam poder relaxar e comer por dois, esqueçam! Para recuperar depois é bem mais difícil, então se cuidem agora. Faz bem pra você e para o bebê. A Drª Fernanda Santos escreveu em seu blog algumas contribuições que a atividade física pode trazer para as gestantes:

  • manter a forma e não ganhar peso em excesso;
  • melhorar a circulação do sangue, a respiração, a postura e a flexibilidade; 
  • auxiliar na hora do parto e na recuperação; 
  • fortalecer o coração;
  • ajudar a controlar a pressão arterial e o açúcar no sangue; 
  • fortalecer os músculos e os ossos e 
  • aliviar o estresse e a ansiedade. 
Mas lembrem-se: se já estavam se exercitando, continuem, mas com moderação. Se não estavam, só depois do 1º trimestre e SEMPRE com acompanhamento do seu médico!

Nenhum comentário: