quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Gravidez aos 36 - Fila Preferencial

Dizem que uma das vantagens de estar grávida é poder pegar a fila preferencial, mas, muitas vezes, acho difícil usufruir desta vantagem.

A grávida pode (e deve) ter acesso a essas filas desde o início da gravidez. Apesar de fazer parte do seleto grupo dos 30% das grávidas que não enjoaram e também de não ter sofrido tonturas ou mal estar, sei que a maioria das grávidas passa por esses incômodos e daí a importância da fila desde o iniciozinho. O chato é não ter barriga nenhuma para mostrar que você está grávida e justificar a sua permanência entre deficientes, idosos e mulheres visivelmente grávidas.

No 2º trimestre, a barriguinha já despontou e, geralmente, quem se sentia mal, sente-se melhor, já que os enjôos costumam passar nessa fase e as tonturas só acontecem se você se abaixar e levantar rápido demais. Por isso ele é conhecido como o "trimestre dourado". Então, como a barriga não está tão pesada e a sensação de conforto é maior, eu não vejo necessidade para pegar a fila preferencial! Lembrem-se: estou falando de mim.

E querem saber? Muitas vezes essas filas demoram bem mais que as outras! Os idosos são muito devagar e as grávidas muito distraídas! Pois é... Distração é um dos nossos sintomas.

E então chega o 3º trimestre, quando, então, o peso da barriga traz certa justificativa para a fila. Mas confesso que, antes da barriga pesar, não me sinto muito à vontade para usufruí-la. Gravidez não é doença e sinto-me tão saudável! Exceto quando sinto a famosa dor na região do cóccix por causa do alargamento da bacia que, muitas vezes, me impede até de andar direito. Mas aí não tem jeito, né? O quadril tem mais é que alargar!

Algumas vezes, por exemplo, querem que eu pegue o elevador, mas prefiro as escadas. Elas são importantes para fortalecer as pernas e melhorar meu condicionamento físico (e também não confio muito nos elevadores lá do trabalho!). Tem gente que não me deixa abaixar para pegar nada que cai no chão. E quase tudo que está na minha mão cai, viu? Esse é outro sintoma! (Juro!! Eu li!!) Obrigada pela gentileza, mas faço "coisas piores" no Pilates e nem sempre terei alguém para pegá-las para mim.

Sei que a minha opinião pode polemizar um pouco, mas é como eu me sinto. E sei que alguns países, como a Alemanha e Estados Unidos, compartilham da minha opinião e não oferecem esse tipo de fila. Se bem que as coisas são mais organizadas nesses lugares e funcionam mais rapidamente. Já experimentaram ir ao Mc no exterior e ficar pensando no que vai pedir na hora que chegou ao caixa?

Também confesso que, depois que a barriga apareceu, experimentei as filas preferenciais. Antes, de fato, não tive coragem, por mais que eu soubesse que era meu direito. Uma vez, no mercado, havia alguns senhores mais velhos na minha frente, mas como estavam com poucas compras, não demoraram muito para passar suas mercadorias e tudo correu bem. Mas outra vez, na Riachuelo, foi terrível. A fila preferencial estava grande e a outra maior ainda. Eu subi e desci duas vezes (!!) para analisar se era melhor pagar minhas compras no andar de baixo ou de cima. Estava realmente na dúvida se a minha barriga já era "de grávida", com medo de alguém ser rude comigo. Resultado de um trauma da 1ª gravidez, quando uma senhora começou a falar mal de mim pelas costas, mas com a intenção que eu a ouvisse, insinuando que eu estava na fila errada. Eu e minha amiga Cris quase saímos no tapa com ela!! Só porque eu era jovem, magrinha e estava com roupa de malhação e uma barriguinha de 4 meses... Ah esses hormônios...

Sei que às vezes é conveniente pegar essas filas (e tem muita gente que tira proveito da sua gravidez!) e só temos os nove meses de gestação para aproveitá-las, além do período de bebê de colo.  Mas quando pego essas filas sinto necessidade de fazer cara de pobre coitada para justificar seu uso! Um fato interessante, que eu não sabia, é que durante a amamentação, mesmo que seu bebê esteja em casa, você tem direito à fila preferencial lactante. O que faz até mais sentido: deixar o bebê seguro e confortável em casa, sair para resolver alguma coisa rapidinha e pegar fila preferencial para voltar logo para amamentá-lo. Mas ela funciona apenas em órgãos e serviços públicos (não sei como, porque eles próprios não funcionam direito!!)!

Para terminar minha pequena polêmica, também acredito que a idade que dá direito aos idosos (60 mulher e 65 homem) a ter acesso às filas preferenciais deve aumentar um pouco! Da mesma forma que gravidez não é doença, as pessoas estão envelhecendo de forma cada vez mais saudável!

2 comentários:

Christianne Heiligen disse...

Êta que essa minha amiga gosta de causar rebulico, hein? Mas quer saber de uma? concordo com vc e ainda digo mais: pra mim filas preferenciais sao como uma espécie de panos quentes, sabe? Se o atendimento fosse de fato eficiente para todos nao existiria necessidade delas...

Aqui por exemplo, assim que uma quarta pessoa encosta na fila, eles abrem um caixa novo. Nao existe caixa preferencial, mas ninguém espera muito.

Feliz ano novo pra vc. Beijocas

Marcia Torres disse...

Kari!
Eu também me sentia da mesma forma! Sempre pensei que gravidez não é doença. Mas, existe a tal lei e a tal fila preferencial.
Quando vou às compras e entro na fila eu confesso que fico com pena das pessoas que precisam de ter a preferência. São filas longas demais! E elas demoram mais do quea fila "comum".
O que acho pior é ver algumas pessoas que se aproveitam porque estão acompanhando ou acompanhadas por algum idoso(a) e fazem compras para si e colocam os idosos na fila para pagarem para elas. Ou mesmo pais com crianças de quase 05 anos no colo!!!
Vai da consciência de cada um!

Mas, lembre-se de que quando você estiver com 7, 8 ou 9 meses a barriga estará mais pesada e realmente é a época que mais precisamos de filas preferenciais.

GREAT POST!

Beijosssssss