sábado, 3 de dezembro de 2011

Gravidez aos 36 - O Melhor Momento


Para quem acompanha a nossa história, nós queríamos engravidar desde abril de 2009 e nosso bebê só veio em setembro de 2011. Foram 2 anos e 5 meses de muita espera, frustrações, ansiedades, alarmes falsos, dúvidas, medos, etc. E, agora que ele está aqui, penso que não poderia ter vindo em melhor época. Claro que eu estava um pouco preocupada com a minha idade, mas hoje em dia, com as inovações tecnológicas e um bom acompanhamento médico, consigo me sentir mais segura.

Em abril de 2009 meu sobrinho Pedro nasceu. Se eu tivesse engravidado logo não teríamos herdado tantas coisas! Já tenho berço (Pêu já vai ganhar sua cama nova), trocador, cadeira de amamentação, assentos para o carro, bebê conforto, cadeirão, sling, Havaianas, Crocs... e até farda da escola!

Em julho de 2009 eu fui para os Estados Unidos, mais especificamente para os parques. Gravidez e montanha-russa não combinam, não é mesmo?

Em setembro de 2009 dei início ao meu MBA em Recursos Humanos, já conversando com a minha coordenadora a respeito de uma possível gravidez. Mas nosso bebê quis que eu terminasse o curso.

Em outubro de 2009 Anna (minha sobrinha e afilhada) nasceu lá na Alemanha e minha mãe foi passar uns três meses por lá. Não daria para dividir a avó se outra netinha (ou netinho) nascesse no Brasil nessa mesma época. Ah! E é o mês do meu aniversário e eu pude bebemorar à vontade =)

Em dezembro eu fui para a Alemanha ajudar a minha irmã e receber a linda notícia de que eu fui escolhida madrinha =)

E passei janeiro de 2010 todo por lá...

Fevereiro teve trilha na Chapada, show do Coldplay no Rio...

Março fomos para o casamento de Fabi & Saulo em São Paulo e visitamos a família de Beto...

Maio Anna estava por aqui, abril teve trilha para o Pico das Almas, outubro mais bebemoração de aniversário (eu meio que sabia que não estava grávida, se suspeitasse, não beberia).

Dezembro fomos de novo para São Paulo ver Tetem, fizemos mais trilhas, Anna estava por aqui, o filho de uma amiga nasceu e eu me perguntava "por que não eu?"

E durante todo esse tempo eu e Beto conversávamos, fazíamos tabelinha, discutíamos nossos "sims" e "nãos", fazíamos as contas e continuávamos nos amando muito e desejando um filho. E foi então que veio a primeira mudança: meu divórcio saiu! O melhor presente de Natal que eu poderia ter recebido em 2010!

Para quem não sabe, durante todos esses anos que eu e Beto convivemos maritalmente eu continuava legalmente casada com meu ex. Foi um divórcio tão complicado, porque ele era estrangeiro e já não morava mais aqui no Brasil, que terminamos optando pelo  litigioso. O que talvez tenha demorado mais ainda... Só que a boa notícia veio no final de 2010. E eu, na mesma hora, pensei: será que você estava esperando por isso?

Depois disso, eu e Beto decidimos nos casar e anunciamos nosso "noivado" em janeiro de 2011. Se nosso bebê estava esperando o divórcio sair, na certa queria ver seus pais casados. E também queria que sua mãe se formasse (concluí meu MBA em abril de 2011). Então, até julho, o foco foi todo para o casamento... Mas não esquecíamos de você! Por exemplo, o meu vestido de noiva tinha uma saia com elástico e eu daria um jeito de folgar o corsette =)

Você deixou a gente curtir bastante o casamento. A cerimônia e a festa foram lindas! E deixou até a gente aproveitar a lua-de-mel também! Mas, de volta ao trabalho, havia um certo incômodo em mim com relação a trabalhar e a cuidar da casa sozinha...

Por mais que eu adore fazer faxina, passei a não achar correto cuidar de tudo sozinha quando Beto e Thiago podiam muito bem ajudar. Não temos empregada, diarista ou faxineira e acredito ser possível trabalhar e cuidar da casa. Em 1h30min arrumo o apartamento todo enquanto as roupas estão na máquina. Meu segredo? Nada de  coisas supérfluas e eu encaro a faxina como a minha ginástica do dia! Mas fazer tudo isso sozinha (e ainda lavar os pratos de todo mundo) passou a me incomodar. Resultado: conversamos e os dois foram muito compreensivos. Dividimos a casa em "territórios" e cada um é responsável pelo seu  uma vez por semana. Nossa casa não fica brilhando, mas aprendi a ser um pouco menos "neura da limpeza" (apelido carinhoso que Beto me deu =)

Agora cada um lava o que suja e Beto cuida da areia dos gatos. Algo que eu já vinha sinalizando (quando eu engravidar não vou poder cuidar da caixa de areia). E vocês acreditam que foi só depois dessa reunião familiar e de dividirmos as tarefas que engravidamos? Era como se nosso filho dissesse "Não quero a mamãe limpando a areia dos gatos e nem essa casa toda sozinha. Ela vai precisar dividir sua energia comigo." 

Essas crianças são muito inteligentes, antes mesmo de nascer! E, mesmo fazendo toda essa retrospectiva, o melhor momento é quando acontece, quando o bebê escolhe vir ao mundo (fecundação) e nascer (parto natural, sem hora marcada), independente dos pais terem planejado ou não. Há uma força divina que vai além de qualquer planejamento =)

Um comentário:

Robeta disse...

Kary, Só vc!!!!! Rsssssss...... Que tal começar a pensar em escrever bum livro?! Muitas felicidades para os quatro!