sexta-feira, 23 de março de 2012

Gravidez aos 36 – Acupuntura na Gestação


A primeira vez que fui a Dr. Lim foi por causa de uma dor na articulação do meu braço de tanto carregar Thiago antes dele aprender a engatinhar. Gostei tanto que, de lá pra cá, voltei algumas vezes por causa de outras dores. Foi Dr. Lim, por exemplo, quem suspeitou que a dor que eu sentia no pulso não era somente por mau uso do mouse, mas também por causa de uma hérnia de disco na C5 e C6. Ele me mostrou que o músculo é o mesmo que vai do pulso à nuca e eu pude vê-lo com meus próprios olhos na exposição O Fantástico Corpo Humano. Nenhum outro médico sugeriu essa possibilidade. E eu fui a vários ortopedistas!

Dito tudo isso, ao sentir meu primeiro incômodo muscular na gravidez de Ícaro, voltei a procurar Dr. Lim, ligando para o meu obstetra antes, é claro. Ele achou uma ótima idéia, pois era uma dor muscular e eu não queria (nem podia) passar nada ou tomar remédio. Ela estava me incomodando muito, à direita da minha cintura (se é que eu ainda tinha uma!) e, a todo o momento, sinalizava a sua presença. Foi então que me lembrei da acupuntura. Estava com umas 20 semanas de gestação. Coloquei uma roupa que mostrasse logo meu estado gravídico e fui me consultar.

Ao chegar 
naquele ambiente branco e com decorações coreanas em cada detalhe, já senti a mudança de energia, um certo relaxamento. Parecia que estava em um spa ou resort e só isso já me fez sentir melhor. Mas, para a minha surpresa, fazer acupuntura na gravidez não é tão simples assim. Dr. Lim passou um bom tempo concentrado lendo a minha ficha, depois de ter feito algumas perguntas sobre o motivo da minha consulta e o desenvolvimento da minha gravidez. 

Eu já estava ficando preocupada. E fiquei mais ainda quando ele disse que cuidaria de mim e do bebê até o final da gravidez. Nossa! Será que a pontadinha na cintura é tão grave assim? Jurava que foi um estirão muscular ao estender a roupa no varal! Nós grávidas estamos muito mais flexíveis e com as articulações frouxas, portanto é preciso observar mais os esforços físicos para não sofrer lesões. 

Mas Dr. Lim me tranquilizou. Disse que cuidaria da minha gestação até o final, porque sabia que eu poderia ter mais queixas. No início da gravidez, por exemplo, a acupuntura pode ajudar com enjoos, vômitos e dores de cabeça. Tive apenas dores de cabeça, mas era só relaxar e esperar passar. Ela também pode melhorar a qualidade do sono e amenizar a azia e, quando a barriga começar a ficar maior e mais pesada, ela pode aliviar as dores lombares.

Dr. Lim ficou muito pensativo, analisando suas anotações com um desenho do corpo humano e seus pontos e me disse que não poderia fazer uso de tudo o que a acupuntura oferece, porque há pontos proibidos, que podem provocar contração uterina e antecipar o parto. Fiquei preocupada novamente e comecei a repensar a minha vinda, mas, pelo menos, já sei o que fazer se não entrar em trabalho de parto até 28 de maio!

Os pontos do desenho do corpo humano estão ligados ao sistema nervoso e são estimulados através de agulhas, mas elas são muito fininhas e superficiais e geralmente não doem. Mas, ás vezes, alguns pontos doem um pouquinho, mas só no primeiro momento. Eu acredito que seja porque são os pontos mais importantes relacionados ao que você está sentindo e se, por exemplo, você estivesse bem, esses mesmos pontos não doeriam tanto. Essas agulhinhas provocam reações em seu corpo e terminam por bloquear a dor, relaxar sua musculatura e estimular suas funções imunológicas. 

O objetivo da acupuntura é justamente equilibrar o fluxo de energia do seu corpo para que ele possa continuar seu trabalho: o de curar a si mesmo. Por isso achei muito interessante quando, na minha última consulta, Dr. Lim me disse: “agora vamos cuidar dos pontos mais importantes”. Ele estava se referindo a alguns pontos da nuca que servem para aliviar o estresse.

Pois é... A lista dos benefícios da acupuntura na gestação é grande. Ela funciona como analgésico, anti-inflamatório, antialérgico, reduz inchaços e ansiedade (principalmente quando a hora de conhecer Ícaro está chegando e a reforma não terminou!!), melhora a circulação, relaxa a musculatura, alivia a sensação de peso e até reduz os sintomas de depressão, mais comuns do que imaginamos.

E ela também é excelente para o período pós-parto, pois pode reequilibrar as funções do organismo e a produção hormonal, auxiliar na amamentação, deixando a mãe mais tranquila, o que reflete na produção de leite, pode curar a mastite e estimular o colágeno, fazendo com que as manchas desapareçam mais rápido.

Dr. Lim disse para, antes de irmos para a maternidade, no dia do nascimento de Ícaro, darmos uma passadinha por lá para que ele me auxilie nas dores das contrações. Espero que não seja através de agulhadas mais profundas que me façam esquecer a outra dor... De qualquer forma, isso vai depender da nossa pressa e se a clínica vai estar aberta. Acho melhor não contar com essa ajuda, apesar de ser caminho. O interessante mesmo seria se ele fosse com a gente para o hospital =)


São muitos benefícios, mas concordo com Dr. Lim com relação aos pontos mais importantes. Afinal, nossas emoções são as principais responsáveis pelos sintomas físicos e, ao serem tratadas, todo o resto se reequilibra. E quando a mãe fica bem, o bebê fica bem. O segredo está no equilíbrio físico e emocional. Se não for através da acupuntura, que seja através da meditação, yoga, alimentação saudável ou, simplesmente, parando um pouquinho para respirar.

Levei "de presente" alguma agulhinhas nas costas, por causa de uma dor no omoplata esquerdo. Justamente o lado recomendado para dormir... 

Observação importante: "As medicinas complementar e alternativa também podem ter muita força. Dependendo de como é utilizado, esse poder tem efeito terapêutico ou nocivo. Lembre-se de que 'natural' não é sinônimo de 'seguro', como também 'químico' não é sinônimo de 'perigo'. Peça aconselhamento de seu médico a respeito de possíveis riscos e benefícios no uso das medicinas complementar e alternativa durante a gravidez".
MURKOFF, Heidi E. O que esperar quando você está esperando. 10ª ed. Rio de Janeiro, Ed. Record, 2010.

Nenhum comentário: