sábado, 7 de abril de 2012

Gravidez aos 36 – Primeira Consulta com o Pediatra

Vocês devem estar pensando “Ícaro nem nasceu e já foi ao pediatra?”. Pois é... A escolha do pediatra não deve ser precipitada e o melhor é você não esperar até o nascimento, porque, dois dias após a saída da maternidade, já tem a primeira consulta, quer dizer, em nosso caso, a segunda. E você vai estar envolvida com amamentação, noites sem dormir direito, fraldas sujas e muito choro. Dá para pensar em escolher algum pediatra em meio a tudo isso?

Nós já sabíamos quem seria a pediatra de Ícaro, porque ela é uma amiga da família, inclusive esteve presente no meu primeiro parto (foi como uma doula para mim há 15 anos, quando, eu acredito, ninguém nem sabia o que era doula – e ainda deve ter muita gente sem saber =). Mesmo com a escolha já feita, ela sugeriu marcarmos a primeira consulta ainda no período gestacional.

Se não souber por onde começar, peça indicação ao seu obstetra, às amigas que tenham filhos pequenos ou às enfermeiras da maternidade, sempre consultando o seu plano de saúde. Depois de escolher uns dois ou três médicos ligue para conhecê-los. Eles devem ser competentes, amáveis e disponíveis. Leve uma listinha com as suas preocupações e dúvidas para descobrir se vocês pensam da mesma forma. Sugestões:
  1. Há horários em que os pais que acabaram de ter filhos possam ligar quando estiverem sem saber o que fazer ou estiverem nervosos?
  2. Quanto tempo, em média, os pais tem que esperar pelo retorno da chamada?
  3. Qual o procedimento em caso de emergência?
  4. Qual a orientação durante o período de amamentação ao seio?
  5. Existe alguma ajuda para as mães que querem continuar amamentando mesmo depois de retornar ao trabalho?
  6. Existe alguma instrução com relação à introdução de alimentos após os 6 meses?
  7. Qual a orientação com relação à circuncisão?
  8. Faz uso de antibióticos?
  9. Faz uso de homeopatia ou outra forma mais natural de medicamento?
  10. Qual a sua opinião sobre o uso da chupeta? 
Além dessa pequena entrevista, vale a pena observar o consultório: Tem espaço para as crianças brincarem enquanto esperam? A espera é muito longa? O pediatra costuma ser pontual? Como se dá o atendimento às crianças com doenças contagiosas? Ficam todas no mesmo ambiente? Quais os horários e dias de funcionamento?

Durante a nossa consulta ficamos mais atualizados com relação às novidades da pediatria. Inclusive ela nos mostrou o site da Sociedade Brasileira de Pediatria e seus manuais de orientação para os pediatras (mas que mães informadas como eu querem ler também) e um link chamado “conversando com o pediatra”. Também conversamos sobre amamentação e alimentação. Nunca é demais =)

E eu aproveitei e levei meu caderninho com mais algumas perguntas...O bebê deve dormir de bruços? De lado? De costas? Mamar à vontade? Cronometrado? E o berço? É aquilo mesmo que a reportagem do Fantástico mostrou? Não podemos ter nem um enfeitinho? Quando devo começar a lavar as roupas de Ícaro? É verdade que não podemos colocar amaciante? E a fimose? É verdade que não devemos mais fazer aqueles exercícios de retração da pele? Quais são as primeiras vacinas? Como são feitos os testes do pezinho, orelhinha e ouvidinho?  Coitado de Beto... E já era hora do almoço...

Mas lembrem-se que a escolha do pediatra é um investimento. Ele se tornará quase um membro da família, pois acompanhará o crescimento do seu bebê desde os seus primeiros dias de vida, logo após o nascimento, até suas primeiras espinhas da adolescência.

Nenhum comentário: