sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Mãe de 2ª Viagem – Nosso Processo de Desmame

Ícaro está com 2 anos e 2 meses e ainda é amamentado. Há três semanas não pede mais para mamar durante o dia, apenas para dormir à noite. E foi muito tranquilo estabelecer esse limite. Pelo menos para ele.

Na verdade, como eu trabalho fora, ele só mamava de dia nos fins de semana, quando eu ficava com ele em casa e, geralmente, ele pedia para mamar apenas quando queria dormir ou quando se machucava.

Escolhi dar um empurrãozinho para ele deixar de mamar durante o dia, em parte, porque cedi à pressão de familiares, amigos e médicos e, em parte, porque eu estava dividida.

Uma parte de mim queria mais liberdade. Tomar remédio me preocupando apenas com o efeito colateral em  mim e não nele, pintar meus fios de cabelo branco, sair pra tomar um drink, beber café á vontade, sair com qualquer roupa e não uma que fosse fácil para dar de mamar caso Ícaro quisesse...

E outra parte queria esperar o desmame natural, esperar que ícaro largasse o peito por conta própria, com medo de causar algum "trauma de infância", porque os textos que eu leio e os grupos dos quais faço parte seguem a linha que acredita que cada criança tem o seu tempo e que ela deixará de mamar quando sentir-se emocionalmente segura. E eu não queria acelerar isso.

Não sou ativista, mas admiro as minhas amigas que são. Por isso ás vezes ouvia quieta as perguntas:
- Ele não está grande demais para mamar?
- Quando é que esse menino vai parar de mamar?
- Ele ainda mama??
- Você sabe que seu leite já não o alimenta, não é?
- Você ainda tem leite??
E, ás vezes, tentava explicar que o peito não é só nutrição, é o contato emocional, que eu vou ter leite sempre até ele não querer mais e que tem muita coisa que os pesquisadores ainda não descobriram sobre os benefícios da amamentação prolongada.

Só que a amamentação precisa ser prazerosa para os dois, então escolhi o caminho do meio. Fazer primeiro o desmame diurno e de forma tranquila, sem sofrimento. Acho até que Ícaro estava mais preparado do que eu. Ele perguntava "mamá?" e ele mesmo respondia "só de 'oite'". Até que parou de pedir peito para o soninho da manhã e só  pedia pra dormir =)

Isso tudo agora, depois de dois anos e dois meses... Lembro que eu dizia que ia começar o desmame com um ano, para que, devagarinho, com dois, ele não mamasse mais. Mas quando Ícaro fez um ano, eu o achava tão pequenininho ainda que logo desisti. Aí vem aquela história da pressa... Pra que acelerar as etapas? Para ele crescer logo?

Depois eu decidi que ia amamentá-lo até ele falar "mamá", porque achava lindo ouvir uma criança pedindo. Consegui. E para quem acompanhou minha história, não foi fácil chegar até aqui. E eu acredito que as mulheres deixam de amamentar no "melhor da festa", quando a criança já pede, já olha, já conversa, mama das formas mais inusitadas, quando o peito já não dói...

Depois que ouvi Ícaro pedindo pra mamar, decidi que ia esperar mais um pouco, até poder conversar melhor com ele. E foi quando percebi que ele estava pronto pra deixar de mamar de dia.

Só que aí aconteceu algo inesperado. Ícaro ficou doente e não queria comer nem seu biscoito favorito. Fiquei em casa com ele e ele não pediu para mamar, mas meu marido e a babá dele me pediram para amamentar! E aqui estou, deitada na cama dando de mamar, enquanto escrevo a nossa história. É mesmo um processo de muito amor e paciência. Tudo tem seu tempo. Mas não se preocupem. Ele não vai mamar até a faculdade.